quarta-feira, 22 de junho de 2011

ônzima cena


- Alô? Hm... uáááá! Como? Não. Não tem nenhuma Merlin aqui. Não. Tá. Bom dia...

O que me lembra ontem quando, andando de bicicleta pela cidade, parei no sinal vermelho. Frio, suando, atrasado. Ia eu pra aula de gaita, que era longe. Parei no sinal vermelho e olhei pra trás: vinha uma moça bonita numa bicicleta vermelha, uma moça bonita suada e atrasada, também. Parou do meu lado, cansada, sorriu e me disse OI!. Assim, em caixa-alta, com ênfase e certeza absoluta do que queria dizer. Me disse OI! e seguiu o caminho, com um residual "estou atrasada".

O sinal abriu e eu segui, pelo mesmo caminho que ela. Mas a moça, mais atrasada que eu, já estava distante. Fiquei olhando a bunda dela - sim, se alguém pedala na tua frente a primeira coisa a olhar é a bunda que mexe no compasso dos pedais, você sabe - e pensando "mas quem é essa moça? Conheço? Conhece? Ela falou mesmo como se conhecesse, não?"

E segui pedalando até o outro sinal vermelho. Em que ela parara. Sorri, ela suada, sorriu de novo e disse "estou atrasada. Para o balé, faz muito tempo que eu não vou. E ainda tenho que me trocar. Bom te ver, beijos" e foi. Definitivamente ela me conhecia, talvez vice-versa.

Continuei pedalando. A aula de gaita foi boa.


2 comentários:

  1. o que se perde ao andar só de carro...

    ResponderExcluir
  2. Foto incrível. Essa bicicleta preta com bolinhas azuis deixou a minha rosinha no chinelo...

    ResponderExcluir